quarta-feira, 8 de julho de 2015

Vermelha...

A cada fio de cabelo que encontro
na minha cama uma lembrança
A cada fio a imagem de um sorriso,
um olhar, um momento de vergonha
Escondendo o rosto entre os cabelos,
levantando e olhando de baixo com
Aqueles lindos olhos brilhantes,
as sobrancelhas erguidas,
Um olhar infantil pra mim,
pensamentos nem tanto.
Seu lindo corpo se esconde
sob os cobertores da minha cama
O frio arde do lado de fora
seu corpo ferve do lado de dentro
Sua pele fica rosada de horas atrás,
as bochechas enrubescidas pela timidez
E eu, apenas sorrindo e pensando
o quanto essa vermelha me faz feliz.


sábado, 29 de novembro de 2014

Opressão...

E a opressão, que achei estar longe, na verdade estava escondida
Jamais desconfiaria que viria de onde amo.
Opressão também vem de onde amamos
Só que esta é pior, pois sabemos que estamos sendo oprimidos
E mesmo assim continuamos de cabeça baixa.
Pois o amor fala mais alto.
Por enquanto. Por enquanto.
Haverá um dia, em que a revolta,
Superará qualquer amor.
E haverá sangue, como em toda revolução
Mas de forma silenciosa.
Pessoal. Íntima. Minha.

Coisas estranhas...

Coisas estranhas acontecem
Como há muito tempo já não acontecia,
Coisas estranhas acontecem
Como já nem me lembrava mais como aconteciam
Não lembrava como era sentir isso,
Essa saudade, essa angústia
Mas, coisas estranhas acontecem
Em momentos que não esperamos
Que não queremos que elas aconteçam
Elas sempre ... acontecem
Coisas estranhas, simplesmente, acontecem
Como num passe de mágica o mundo vira,
O dia vira noite e 
A noite vira dia
A angústia, a incerteza de que coisas estranhas acontecem
Já não me preocupam mais, 
Pois na maturidade que a vida me ofereceu
Aprendi a lidar com essas coisas
Mesmo assim, tenho medo
De que novamente a escuridão tome conta
Pois coisas estranhas acontecem
E ninguém pode pará-las
A não ser eu.
Porque eu sei que
Coisas estranhas acontecem.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Raiva...

Quando a raiva toma conta do corpo,
É como se um mar de fogo corresse pelas veias
O coração acelera da mesma forma de quando estamos apaixonados
Mas dessa vez estamos apenas afastando aquilo que nos faz bem.
Não sei porque uso a segunda pessoa do plural quando falo de coisas ruins
Nem mesmo sei o porque eu escrevo sobre coisas ruins
Achei que já tivesse passado da fase depressiva,
Mas não sei se realmente passei
Não sei nem mesmo se isso é uma fase apenas.
Espero que passe!
Mas voltando, quando a raiva toma conta de MIM, sei lá,
Saio de mim, faço coisas que não entendo,
Me machuco, macho outras pessoas,
Só faço besteira. Mas não entendo
No fundo eu realmente não entendo o porquê de eu fazer coisas desse tipo.
Por que não consigo me controlar? Por quê??
Por que é tão difícil manter esse monstro dentro de mim?
O que há de tão forte nele que não consigo domá-lo?
Por que não consigo matá-lo?
Só queria que isso não fosse meu.
Só queria que isso não fosse eu.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

O canto e a dança dos esquecidos...

O mato balança com o vento
Vai e vem quase que num ritmo certo
O vento sopra e assovia entre as paredes
Produz notas que quase formam uma música
O silencio se quebra apenas com a sutileza do uivo do vento
Que se sente só e sopra, assovia, uiva, canta
O mato balança, parece dançar a música do vento
Sem ritmo, sem platéia, sem sequer saber que está dançando.
O vento canta, o mato dança e eu...
Eu apenas platéia.

O fluir das águas...

Curiosas são as coisas que acontecem ao acaso
Que surgem do nada ou que apenas se escondem no hábito
Interessantes são aquelas que, por pouco, quase não se nota
Mas que quando se nota, Sol.
Elas fluem como água no rio,
Rio tranquilo, nem se percebe, mas se aprecia.
Quando do nada surge, como um respingo d'água na cara
Parece novo, um mundo diferente de cara lavada
Ou simplesmente enxergando diferente o que sempre esteve ali
Enxergando, pois, sabe-se agora que água é água
E que ela corre, escorre, flui...
Ela jorra, cai, bate e rebate.
Sabe-se agora que ela é vida e que nela
Há mais vida do que a vida que há.
Sabe-se agora que o dançar das águas
Existe no correr do rio.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O poeta e o pateta...

Há dias que não estou bem
Dias nos quais não consigo dormir
Que fico pensando na vida e em sua crueldade
Penso tanto sobre tantas coisas que o corpo chega a doer
Minha cabeça começa a trabalhar e não para mais
Vejo coisas ruins demais, imagino tudo de ruim que o mundo me reserva
E lembro da sorte que tenho de ainda não ter visto a face ruim,
A verdadeira face ruim da vida.

Há dias em que rolo na cama até começarem a me doer as costelas
Dias que o colchão fica com o formato do meu corpo marcado
Pois não consigo me aquietar
Penso em tantas coisas diferentes, penso em como seria a minha vida
Caso ela fosse sem um ou outro ou vários do que amo
E penso em mil coisas tristes, que escritas, ficariam bonitas
Penso em como poderia escrevê-las, mas quando pego no lápis
Tudo o que pensei se esvai e fico apenas com duas ou três palavras soltas na mente.

Há dias em que consigo escrever
E dias em que não consigo
Os dias que estou inspirado são os que estou vendo a vida bela
Ou os dias em que gostaria de pular fora dela
Esses extremos que me fazem pensar em quão ruim é a vida
Pois o bom pode acabar logo e o ruim sempre pode piorar
Então penso em como escrever isso de uma forma que fique bonita para que leiam
Pois isso, pelo menos, seria uma contribuição a um mundo já tão feio e obscuro
Mas sempre que tento fazer algo poético, acabo sendo sempre patético,

sábado, 6 de setembro de 2014

Meine Künstlerin...

In meinem Leben, Spuren, Blots und Schatten wurden gekritzelt.
Es gab nur schwarz und weiß.
Mit der Zeit, die Schwarz verblasst und das Weiß gekniffen.
Mein Leben wurde ein still "Pastellefest".

Wenn Sie eingetragen in mein Leben, die Welt hat sich verändert.
Du getan Effekten aus den Blots. Du getan Tiefe aus das Schatten.
Du getan eine Zeichnung mit den Blots. Du malte es mit der Liebe.
Du getan mein Leben ein "Freudenfest".

In dieses Festival spielen die beste Musik.
Klingt perfekt harmonieren mit den Farben des Freunde
dass macht mich für Sie fallen, ursachen ihre Zeichnungen
in meinem Herzen gekritzelt lebendig Sie und fühlen Sie sich all diese Emotionen.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Minha artista...

Na minha vida foram rabiscados traços, borrões e sombras
Nela havia apenas preto e branco
Com o tempo, o preto desbotou e o branco ficou bege
Minha vida se tornou um festival silencioso de tons pasteis.
Quando entraste na minha vida, o mundo mudou
Dos borrões fizeste efeitos, das sombras, profundidade
Dos traços, fizeste um desenho. Com amor, o coloristes,
E da minha vida, fizeste um festival de felicidade.
Nesse festival tocas as melhores músicas,
Sons perfeitos que harmonizam com as cores da felicidade
Que apaixonam, que fazem com que teus desenhos,
Rabiscados no meu coração, tomem vida e sintam toda essa emoção.

terça-feira, 18 de março de 2014

Saliento minha insatisfação...

Saliento minha insatisfação com nossa atual situação.
Solicito que tomes alguma atitude, já não suporto mais tudo isso.
Entendo que tudo mudou e que já não somos mais tão jovens.
Queria apenas que nossas mentes esquecessem que nos conhecemos algum dia.
Queria começar tudo de novo, te mostrar tudo o que sou e o que penso.
Queria te entreter novamente com minhas histórias.
Ficar fascinado com teu talento, com tua música.
Queria voltar a não dormir, passar a noite te conhecendo.
Te indago a pensar se ainda somos os mesmos.
Ou se nos tornamos apenas mobília na vida um do outro.
Talvez tenhamos que chegar a uma nova era, logo, o quanto antes.
Talvez isso seja o ideal, talvez tu até me leves a mal.


terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

My name is not important...

My name is not important.
What I am is not important.
What I think or how I think, either.
The things I do, sometimes, are important.
What I want "never" is important.
What do they want from me, yeah, it's really important.
No matter who I love.
Who do I want does not matter.

What really matters is what I see on TV.
What really matters is what I can see.
Can I see?
Or will they let my eyes free?

Your name does not matter to anyone.
What thou art nobody cares.
What you think, I do not even want to know.
What you do not reach me.
Can you see? And what you want, you will never have.
What we want you, yes, it matters.
Who do you love does not matter.
Who do you want does not matter.

What really matters is what you see on TV.
What really matters is what you can see.
Can you see?
Or will leave your eyes free?

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Minhas dificuldades...

Tenho dificuldades em mostrar aquilo que sinto
Tenho dificuldade em te mostrar
Tenho receio, muitas vezes,
De estar sendo inoportuno, repetitivo,
Inconveniente.

Tenho dificuldade em entender como não sabes
Depois de todo esse tempo, que te amo,
Não entendo como precisas tanto de provas
Como necessitas tanto de demonstrações
Não entendo porque não aceitas que te amo.

Tenho dificuldade em te mostrar,
Mas não tenho nenhuma em te amar
Sinto o que sinto e nada pode contrariar,
Mesmo sem te mostrar, ainda sim te amo todo dia
Cada dia mais e mais.

Fico sentado na cama vendo tuas fotos e sorrindo
Lembrando dos momentos em que as tiramos.
Fico deitado olhando pro teto e lembrando
De todas as palhaçadas que fizemos enquanto às tiramos
Sinto tua falta a cada segundo, mesmo sem te dizer,
Continuo te amando.

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Uma vida em branco...

Uma página em branco não me inspira,
Assim como uma tela em branco não o faz.
Um muro liso nada me traz,
Assim como um céu sem nuvens.
Uma vida em branco não me serve,
Assim como um amor sem cor não o faz.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Amor...

...ao te ver meu coração acelera, talvez seja medo de ti, ou vai ver ele se emociona de amor. Meus olhos se enchem de orgulho ao te ver, brilham ao ver teu sorriso. Tenho vontade de cuidar de ti, gostaria de passar todo o tempo do mundo ao teu lado, esquecer o resto do mundo, ser teu, somente teu o tempo todo. Quando estou contigo só penso em te fazer feliz, quero te fazer cócegas pra que tu rias. Fazer-te carinho pra te ver sorrindo, te beijar pra te ver fechar os olhos, te tocar a nuca para te ver sentir prazer. Gosto do teu cabelo enrolado, das tuas mechas que só eu vejo. Gosto de bagunçá-lo, de passar os dedos entre eles. Gosto de ver a cara que tu faz quando te acaricio o rosto, a nuca, o pescoço e os lábios. Gosto dos barulhinhos que tu faz; parecem desenhos japoneses. Gosto de te ver dormindo toda torta, como se tivessem te atirado ali. Gosto da cara que tu faz quando eu tiro os teus óculos, quando seguro as tuas mãos acima da cabeça e beijo a tua barriga. Gosto de te ver sentindo prazer. Amo, amo de verdade te fazer coceginhas imaginárias apenas com som de “nhoc nhoc”. Amo te ver rir como uma criança. Ver tu te vestir com mil roupas diferentes, como tu grudas o cabelo na cabeça, pois assim eu posso soltá-lo com os dedos e te irritar fazendo isso. Amo apertar tuas bochechas e te fazer dizer “nha”. Amo andar de mãos dadas, abraçado, me apoiando em ti. Amo comer o teu cabelo quando deitamos juntos, não que ele tenha um gosto bom, mas tem cheiro de chiclete, pelo menos. Enfim, resumindo, gostaria de dizer “te amo”.

Eu quero a dor de um amor tranquilo...

A saudade é um sentimento que não consigo entender
Sinto saudade de coisas e pessoas que as vezes chego a esquecer
Mas de vez em quando me vejo a pensar
Penso em tudo aquilo que vivi e que me custa tanto lembrar
Bate um frio na barriga em pensar em todos os "se.."
Fico gélido e penso em não pensar, mas afinal
Que seria de mim se não pudesse mais lembrar?
Fico então feliz, o que passou me fez, sou o que sou por isso
Sou o que sou, por algum motivo. Pensando bem, amo o que sou
Amo o que tenho, amo quem me cerca, amo minha vida
Afinal de contas; é a única que tenho.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Na sua casa...

Ding Dong! Ding Dong!
Seu relógio faz esse barulho
Quando estou sentado no sofá
Da sua casa, da sua casa!

Miau! Miau!
O seu gato faz esse barulho
Quando estou sentado no sofá
Da sua casa, da sua casa!

Miau! Miau!
Mais um gato ciumento
Se enrolando em minhas pernas
No sofá da sua casa, da sua casa.

Miau! Miau! Miau!
Miau! Miau! Miau!
Quantos gatos você tem na sua casa?
Miau! Ai meu deus, são muitos gatos
Que bagunça que ficou a sua casa, a sua casa!

Miau! Miau!
Outro gato ronronando
Lá na porta do seu quarto
Na sua casa, na sua casa!

Toc Toc!
É o barulho que eu faço
Lá na porta do seu quarto
Eu quero entrar, na sua casa!

Quem é?
Você pergunta por quem bate
Lá na porta do seu quarto
Na sua casa, na sua casa!

Tsc Tsc Tsc!
É o barulho que eu faço
Quando abro a porta do seu quarto
Na sua casa, na sua casa!

Nya!
É o barulho que cê faz quando me vê
Entrando pela porta do seu quarto
Na sua casa, na sua casa!

Aham!
Sou eu que bato e vou entrando
Pela porta do seu quarto
Na sua casa, na sua casa!

Eu vou entrando, e vou te olhando
Cê já sabe o que que eu faço
Quando entro pela porta do seu quarto
Na sua casa, na sua casa!

Você me olha e abre os olhos bem abertos
Se enchem d'água, pois é saudade
Te dou um abraço apertado lá no meio do seu quarto
Na sua casa, na sua casa!

Miau! Miau! Miau!
Gato ciumento se enrolando nas minhas pernas
Gato esperto, interesseiro
Estou feliz porque eu tô aqui na sua casa, na sua casa!

No seu quarto, os gatos fazem
Miau! Miau! Miau!
Já na sala seu relógio faz Ding Dong!
Na sua casa, na sua casa!

sábado, 24 de agosto de 2013

Razão do meu ser...

Ao te conhecer experimentei sensações que jamais havia experimentado
Me dei conta de que o mundo é feito de sensações
Percebi que meus sentidos poderiam ir muito mais além do que imaginara eu
Conheci sabores que minha boca sequer imaginava possível,
Ouvi sons tão lindos que me faziam viajar para um mundo tão belo longe dos meus problemas
Senti o cheiro do seu perfume, embebedei-me com tal aroma
Percebi que minhas lágrimas corriam pelo rosto em pensar em ti
Escorriam de alegria por te ter em minha vida, apenas por te olhar
Porque as vezes eu penso que posso te perder; isso me entristece.

Medo! Tenho muitos medos, os adquiri vivendo essa vida insana
Temo os obstáculos que tenho pela frente, assim como temo alturas muito grandes,
Temo te perder, assim como temo adentrar na água, pois não sei nadar.
As coisas que me intimidam na vida são muitas, mas o motivos para ter coragem são poucos
Você é um desses motivos, que me faz ter coragem.
Não digo que deixo de ter medo de enfrentar os desafios de uma vida a dois,
Apenas digo que por mais dura que seja minha vida,
Estando ao seu lado terei coragem de enfrentar meus medos,
Não me importarei se é fácil ou difícil, me importarei apenas se valerá a pena
Você vale tudo, você é o maior motivo de eu simplesmente ignorar os desafios e, simplesmente, vencer.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Aos meus filhos, eu venci...

Das lutas diárias fiz minha vida
De ilusões e desilusões a construí,
Com suor, sangue e trabalho,
Dias houveram em que sequer vi o sol,
Dias outros, os filhos, muitos, suplicavam um pouco de atenção
Filhos estes que a vida me deu, de sangue, de coração
Filhos meus, que trabalho muito me fizeram passar
Mas que, com garra, criei, dignos de serem gente.

Jamais abandonei meus ideais, sequer meus desejos,
Fui traída, foi jogada fora, baixei minha cabeça, mas loga a ergui.
Jamais deixei que meus desafios me superassem,
Jamais temi o que vinha pela frente,
Vivi minha vida como ela deveria ser vivida,
Não me deixei cair pelas mãos daqueles que só me agrediam
Fui agredida, minha moral foi esquecida,
Fui feita de boba, briguei, esperneei,
Ora, sabia o que queria, jamais iria desistir ou
Deixar que passassem a perna, me deixassem para trás,

Nunca fui uma mulher de me humilhar,
Sequer dependi do trabalho de outros,
Estou onde estou, pois meu trabalho me trouxe até aqui,
Sou vencedora, sou forte, sou mulher, sou mulher de verdade.
Hoje, parei, só penso em descansar,
Meus filhos criei, com trabalho e amor,
Hoje são homens e mulheres de sucesso, meu sucesso maior.
Hoje, estou satisfeita, pois venci no jogo que "eles" criaram.
Hoje estou plena, convicta de que venci,
De que sou uma vencedora, de que mereço tudo aquilo de bom que a vida me trouxe.
Hoje sou grata, acima de tudo, à educação que tive e que passei para meus filhos.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Presente...

Queria te dar o presente mais perfeito,
Queria que fosse a coisa mais incrível deste mundo
Queria que ele expressasse tudo o que sinto
Queria te fazer sorrir ao vê-lo
Queria que pudesse fazê-lo todos os dias
Queria que o amasse para sempre
Queria que ele fosse capaz de te deixar feliz nas horas difíceis
Queria que ele fosse capaz de te esquentar nos dias mais frios
Queria que ele fosse capaz de te divertir quando estiveres triste
Queria que ele fosse bonito o suficiente para que fiques admirando-o
Queria que fosse perfeito, do seu número, do seu tamanho
Queria que fosse teu, queria que nunca o esquecesse
Queria apenas te dar o presente perfeito

Como não posso, te ofereço meu coração
Como prova do meu amor humilde e sincero
Quero que cuide dele com carinho, pois a partir de hoje
Será teu, somente teu até o dia em que não quiseres mais
Aí tu me devolves, eu o deixarei novo, bonito e quentinho novamente
E aí, então, te darei novamente, pois sei que tu vai amá-lo,
Da mesma forma que te amo.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

...Sempre

Como que coisas tão perfeitas podem durar tão pouco?
Sinto tanto por ter acabado assim, do nada
Pensei que seria algo que duraria para sempre,
Pois bem, o "pra sempre" sempre acaba.